Estudo sobre Abraão: Lições e 12 Curiosidades da história do pai da Fé

Estudo sobre Abraão

Se você pensar bem, o chamado de Deus para a vida de Abraão foi algo bastante assustador. Quero dizer, Abraão não era nenhum rapazinho quando Deus falou com ele sobre ir embora! Ele tinha 75 anos! Quando foi a última vez que você ouviu falar de um homem de 75 anos que pegou a sua família e se mudou para algum lugar?

No entanto, observe qual foi a resposta de Abraão! Ele saiu… sem saber para onde estava indo. Tudo o que ele sabia era que estava sendo obediente. Isto é o que a Bíblia chama de fé.

Neste estudo bíblico, vamos conhecer um pouco mais sobre quem foi esse homem de fé chamado Abraão, sua história e também as lições que podemos aprender com sua vida.

Quem foi Abraão?

Abraão, filho de Terá, nascido em Ur dos Caldeus na mesopotâmia foi um dos grandes patriarcas do povo hebreu, conhecido como o “pai da fé“.

Ele foi esposo de Sara e pai de Isaque, escolhido por Deus para ser o pai de multidões, ou seja, Abraão é uma das figuras mais importantes na história bíblica, sendo chamado de amigo de Deus (Tiago 2:23).

História e chamado de Abraão

história de Abraão

Abraão Vivia em Ur dos Caldeus, uma cidade próspera da Mesopotâmia. Ele era um homem comum, vivendo uma vida comum até que Deus decidiu intervir e chamá-lo para um propósito extraordinário.

Um dia, Deus falou com ele e disse: “Abraão, deixe sua terra, sua família e vá para uma terra que eu mostrarei. Eu o abençoarei e farei de você uma grande nação. Todas as famílias da Terra serão abençoadas por meio de você.”

Abraão ouviu a voz de Deus e, com muita fé, decidiu obedecer. Ele reuniu sua esposa, Sara, seu sobrinho Ló e todos os seus pertences, e partiu em uma jornada, mesmo sem saber exatamente para onde iria.

Ao longo de sua vida, Abraão enfrentou muitos desafios, incluindo a fome, conflitos e até a necessidade de resgatar Ló de inimigos. No entanto, a sua fé perseverante e a sua confiança em Deus mantiveram-se firmes.

Deus não só prometeu a Abraão uma terra, mas também uma descendência numerosa. No entanto, depois de receber as promessas de Deus, Abraão e sua esposa, Sara, enfrentaram anos de provação e incerteza. Sara era estéril, o que tornava impossível conceber um filho. Contudo, Deus, fiel às Suas promessas, realizou um milagre.

Em sua velhice, quando Abraão tinha 100 anos de idade, Sara concebeu e deu à luz um filho chamado Isaque, cujo nome significa “riso“, em referência à alegria e ao espanto dos pais.

Isaque cresceu e se tornou o herdeiro das promessas feitas a Abraão.

Abraão e Isaque

Isaque era o filho da promessa, nascido quando Abraão e sua esposa Sara já eram idosos, e Deus havia prometido a Abraão que sua descendência seria inumerável por meio de Isaque. Portanto, Deus provando seu servo, pediu-lhe para oferecer seu único filho, Isaque, como um sacrifício (Gênesis 22).

Abraão, movido por sua fé, obedeceu ao comando de Deus. Ele preparou tudo para os sacrifícios, incluindo o altar e as ferramentas necessárias, e partiu com Isaque para a região da terra de Moriá, conforme instruído por Deus. Quando eles chegaram ao local dos sacrifícios, Abraão colocou Isaque sobre o altar e retira o punhal para sacrificá-lo.

No entanto, no momento crucial, um anjo do Senhor chamou Abraão do céu e impediu que ele completasse o ato. O anjo disse a Abraão que Deus viu sua fé e obediência, e então providenciou um carneiro preso em um arbusto próximo como um substituto para o sacrifício de Isaque. Abraão sacrificou o carneiro em vez de seu filho.

Este episódio é muitas vezes visto como um teste de fé extraordinário e um exemplo de completa obediência a Deus. Abraão declarou sua fé inabalável, mostrando que estava disposto a sacrificar o que mais amava em obedeciência à vontade de Deus. Deus, por sua vez, recompensou a fé de Abraão e providenciou uma solução que preservou a vida de Isaque.

Além disso, o sacrifício de Isaque é frequentemente visto como uma prefiguração do sacrifício de Jesus Cristo no cristianismo. Assim como Deus providenciou um substituto para Isaque no último momento, Ele também providenciou Jesus como o Cordeiro de Deus, sacrificado para a redenção da humanidade.

Abraão e seu descendente Ismael

Ismael filho de Abraão

Abraão e Sara, inicialmente chamados de Abrão e Sarai, receberam a promessa de Deus de que eles tivessem um filho e se tornariam pais de uma grande nação. No entanto, como já vimos Sara era estéril e incapaz de conceber um filho, o que levou à frustração e à dúvida sobre como a promessa divina seria cumprida.

Em um ponto da história, Sara, incapaz de esperar mais, teve a ideia de permitir que seu marido tivesse um filho com Agar, sua serva egípcia. Abraão recebeu com a sugestão de Sara, e Agar concebeu um filho de Abraão, ao qual chamou de Ismael.

No entanto, após a concepção de Ismael, Sara começou a sentir ciúmes surgindo assim um grande problema na família. Quando Ismael nasceu, ele se tornou um foco de tensão entre Sara e Agar, levando a conflitos constantes. Eventualmente, Sara pediu a Abraão que expulsasse Agar e Ismael, temendo que o filho de Agar pudesse representar uma ameaça à herança de seu filho Isaque, o filho prometido por Deus a Abraão e Sara.

Abraão, angustiado com a situação, consultou Deus sobre o que fazer. Deus lhe garantiu que Ele também abençoaria Ismael e faria dele uma grande nação. Assim, Abraão despediu Agar e Ismael, para o deserto.

Ismael e Agar vagaram no deserto, mas Deus os cuidou. Ismael cresceu e se tornou o pai de doze príncipes, tornando-se uma nação árabe, como Deus havia prometido.

Embora tenha tido conflitos e decisões difíceis, Deus cumpriu Suas promessas tanto em relação a Isaque, descendente de Abraão e Sara, quanto a Ismael, descendente de Abraão e Agar, mostrando Sua fidelidade e cuidado por ambas as linhagens.

Abraão e Melquisedeque

Em Gênesis 14, Abraão estava envolvido em uma batalha contra vários reis. Após sua vitória, ele retornou com despojos de guerra, incluindo pessoas que haviam sido capturadas, entre elas seu sobrinho Ló. Nesse ponto, Melquisedeque, que era o rei de Salém e também sacerdote do Deus Altíssimo, apareceu. Melquisedeque trouxe pão e vinho e abençoou Abraão, dizendo:

“Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra. E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.”

Esse encontro é notável por várias razões. Primeiro, Melquisedeque é um personagem enigmático, pois não é mencionado sua genealogia ou origem, descrito como um sacerdote de Deus Altíssimo, antes mesmo da existência do sacerdócio levítico instituído mais tarde na história de Israel. Segundo, mostra um reconhecimento da supremacia de Deus Altíssimo sobre todos os deuses locais e destaca a fé de Abraão em Deus.

O Novo Testamento, especificamente no livro de Hebreus, faz referência a Melquisedeque para explicar o papel de Jesus Cristo como sumo sacerdote. O autor de Hebreus argumenta que Jesus é um sumo sacerdote eterno à semelhança de Melquisedeque, que também não tinha genealogia sacerdotal. Isso implica uma ligação entre a ordem sacerdotal de Melquisedeque e a obra salvífica de Jesus Cristo.

Abraão e Abimeleque, rei de Gerar

Enquanto, Abraão e Sara, viajavam pela terra de Gerar, que era governada por um rei chamado Abimeleque. Abraão estava preocupado com a possibilidade de que, devido à beleza de Sara, os homens de Gerar a quisessem e, para proteger sua própria vida, ele decidiu esconder o fato de que Sara era sua esposa e, em vez disso, a apresentou como sua irmã (Gênesis 20).

Abimeleque, o rei de Gerar, interessou-se em Sara e a tomou em seu harém para que ela se tornasse sua esposa, acreditando que ela era irmã de Abraão. No entanto, Deus interveio através de um sonho, alertando Abimeleque sobre o erro que estava prestes a cometer. Deus disse a Abimeleque que Sara era casada com Abraão e que ele estava correndo o risco de ser punido por Deus se não devolvesse a Abraão imediatamente.

Abimeleque, com temor a Deus, chamou Abraão e confrontou-o sobre o engano. Abraão explicou sua preocupação com a segurança de sua vida e, ao mesmo tempo, reconheceu que, embora Sara fosse sua meia-irmã, eles compartilhavam um vínculo matrimonial. Abimeleque devolveu Sara, e, como um gesto de reconciliação, ofereceu a Abraão gado, ovelhas, servos e terras como uma forma de pedido de desculpas.

Este acontecimento é significativo porque destaca a intervenção direta de Deus na vida de Abraão e Abimeleque para proteger a integridade da aliança divina e demonstrar como Deus pode usar situações aparentemente negativas para Sua vontade.

12 Curiosidades sobre Abraão

Fatos sobre Abraão

1. Porque Abraão foi importante?

Abraão foi importante pois representa não apenas a origem de um povo eleito por Deus para renovar a humanidade, mas também o homem justo, profundamente fiel, cuja lealdade a Deus chegou ao ponto de sacrificar o filho em obediência à ordem divina.

2. O que a Bíblia fala sobre Abraão?

Abraão é uma figura central na Bíblia, e sua história é contada em várias passagens, principalmente em Gênesis. Citarei algumas das passagens mais significativas:

  • Gênesis 11:26-32 – Este é o início da história de Abraão, quando ele ainda era conhecido como Abrão. Descreve sua genealogia e a partida de Harã em direção a Canaã.
  • Gênesis 12:1-4 – Deus chama Abrão para deixar sua terra natal e ir para Canaã, prometendo abençoá-lo e fazer dele uma grande nação.
  • Gênesis 12:5-9 – A bíblia descreve a jornada de Abraão e Sara para o Egito e o encontro com o faraó.
  • Gênesis 13:14-18 – Deus reafirma Sua promessa a Abrão, prometendo-lhe toda a terra de Canaã como herança para sua descendência.
  • Gênesis 15:5-6 – Descreve a promessa de Deus a Abraão de que sua descendência será tão numerosa quanto as estrelas, e Abraão creu no Senhor, e isso lhe foi imputado como justiça.
  • Gênesis 17:15-22 – Continuação da promessa de Deus a Abraão sobre o nascimento de Isaque, incluindo o anúncio de que Sara o dará à luz.
  • Gênesis 18:16-33 – Abraão intercede em nome das cidades de Sodoma e Gomorra, pedindo a Deus que poupe as cidades se houver um número suficiente de justos.
  • Gênesis 20 – Abraão e Sara viajam para Gerar, onde Abraão fala a Abimeleque sobre Sara sendo sua irmã, não sua esposa.
  • Gênesis 24:1-67 – Uma narrativa detalhada do casamento de Isaque com Rebeca, incluindo o papel de Abraão em escolher uma esposa para seu filho.
  • Gênesis 25:12-18 – Lista dos filhos de Ismael e a morte de Abraão.
  • Êxodo 2:24-25 – O Senhor lembra a aliança que fez com Abraão, Isaque e Jacó ao libertar os israelitas do Egito.
  • Mateus 1:1-17 – O registro genealógico de Jesus, que inclui Abraão como um dos ancestrais de Jesus.
  • Romanos 4 – O capítulo destaca Abraão como exemplo de justificação pela fé, citando sua fé como justiça.

3. Qual foi a primeira promessa que Deus fez a Abraão?

A primeira promessa registrada que Deus fez a Abraão é encontrada em Gênesis 12:1-3, quando Deus o chamou para deixar sua terra natal e seguir em uma jornada:

O Senhor disse a Abrão: ‘Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção. Abençoarei os que o abençoarem, e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados‘.”

Essa foi a promessa inicial que Deus fez a Abraão, na qual Ele prometeu abençoá-lo, torná-lo uma grande nação, abençoar aqueles que o abençoassem e amaldiçoar aqueles que o amaldiçoassem. Além disso, Deus prometeu que, por meio de Abraão, todas as nações da Terra seriam abençoadas, uma alusão à futura vinda do Messias, que seria descendente dele e traria bênçãos espirituais a todas as pessoas.

4. Como foi a fé de Abraão?

A fé de Abraão é que há um só Deus verdadeiro, que não há outro. O patriarca servia a um Deus que tem poder para trazer à existência tudo aquilo que não existe. Abraão lutou contra a esperança, pois vivia de acordo com o que o Senhor lhe prometera e, por isso, foi chamado o pai da fé, porque foi além da sua limitação. Enfim, ele creu, mesmo quando não havia nenhuma esperança.

5. Quantos anos Abraão esperou para receber a bênção?

Deus prometera a Abrão uma porção de descendentes quando ele tinha 75 anos (Gn 12.4). Ele teria 100 anos quando Isaque finalmente nasceu (Gn 21.5). Isso significa que Abrão e Sarai esperaram 25 anos pela promessa.

6. Porque Deus mudou o nome de Abraão?

Seu nome de nascença era Abrão, mas posteriormente, Deus mudou seu nome para Abraão, por causa de quem Deus sabia que ele se tornaria. Ou seja, indicava que Deus o tornaria não apenas pai de um único filho, mas sim de uma multidão.

A mudança de nome de Abrão para Abraão representa a realização das promessas divinas. Antes dessa mudança, Sara era estéril e não tinha filhos. No entanto, Deus prometeu que ele teria uma descendência numerosa, cumprindo assim o significado do seu novo nome.

7. Qual o significado do nome de Abraão?

O nome original de Abraão era Abrão (ou Abrão), derivado do termo judaico “Ibrim“, que significa “Excelso Pai“ou “pai exaltado“.

Mais tarde, seu nome foi alterado para “Abraão” (ou Ibrahim), que significa “pai de muitos” (Gênesis 17:5).

8. Qual era a idade de Abraão quando Deus o chamou?

Abraão tinha 75 anos quando Deus o chamou (Gênesis 12:4).

9. Qual a principal característica de Abraão?

A principal característica de Abraão é a profundidade de sua fé. No livro de Gênesis, ele obedece inquestionavelmente aos mandamentos de Deus e está pronto para seguir a ordem de Deus de sacrificar Isaque, um teste de sua fé, embora no final Deus substituiu seu filho por um carneiro.

10. Abraão se casou com Quetura e quantos e filhos ele teve com ela?

Sim, ele casou-se com Quetura após a morte de sua primeira esposa, Sara, e tiveram seis filhos: Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Jisbaque e Suá.

11. Abraão era descendente de Noé?

Sim, Abraão era o descendente de Noé na décima geração. Na época de Noé, todas as outras famílias foram exterminadas pelo dilúvio, o que significa que todos os seres humanos na terra são descendentes de Noé e de sua família.

Abraão obviamente não foi exceção. Noé teve três filhos, Sem, Cão e Jafé. Abraão era da linhagem de Sem e era descendente de Noé na décima geração. Três gerações depois, o neto de Abraão, Jacó, e suas esposas tiveram doze filhos que trouxeram os chefes das doze tribos de Israel.

12. Como foi o final da vida de Abraão?

O final da vida de Abraão é relatado na Bíblia em Gênesis 25:7-10. Abraão viveu até uma idade avançada e morreu em Canaã, a terra que Deus lhe havia prometido. Aqui está o relato:

“Abraão viveu cento e setenta e cinco anos. Abraão viveu uma boa vida, chegando a uma idade avançada, e morreu em boa velhice. Ele foi reunido aos seus antepassados. Seus filhos, Isaque e Ismael, o sepultaram na caverna de Macpela, perto de Manre, no campo de Efrom, filho de Zoar, o heteu. Foi a terra que Abraão comprou dos heteus. Ali Abraão e sua mulher Sara foram sepultados.” (Gênesis 25:7-10)

Abraão morreu em paz e foi sepultado na caverna de Macpela, juntamente com sua esposa Sara. Seus filhos, Isaque e Ismael, foram responsáveis ​​pelo seu sepultamento.

A Bíblia descreve Abraão como tendo vivido uma “boa vida” e obtendo uma “boa velhice“, destacando sua longa vida e a vitória de Deus sobre ele. A morte de Abraão marca o fim de uma era, mas sua fé e legado continuam sendo lembrados e reverenciados até os dias de hoje.

Quais lições que podemos aprender com a vida e o chamado de Abraão?

lições que aprendemos com Abraão

A história e o chamado de Abraão são um exemplo notável de fé, obediência e confiança em Deus. Abraão é considerado o “pai da fé”, pois sua vida serve como um modelo de como a fé em Deus pode superar todas as adversidades. Então, neste estudo, vamos nos aprofundar nas principais lições que podemos aprender com a vida de Abraão.

1. Obediência mesmo em tempos difíceis

Abraão demonstrou sua disposição para obedecer a Deus, mesmo quando isso era difícil ou contraproducente do ponto de vista humano. Um exemplo notável disso é quando Deus pediu que ele sacrificasse seu filho Isaque, o filho da promessa.

Abraão estava disposto a obedecer até o último momento, mostrando sua obediência inabalável a Deus. Essa lição nos ensina sobre a importância da obediência mesmo em tempos de provação.

2. Abraão acreditou na Palavra de Deus

Como Abraão, devemos confiar em Deus e em Sua Palavra, mesmo quando não compreendemos completamente. Reconheço que nunca poderei abarcar todo o conhecimento de Deus, mas sei que Ele é bom e digno de confiança. Aquilo que pode parecer impossível à minha mente é plenamente possível para Deus.

Além disso, em Gênesis 16, testemunhamos o desânimo de Sarai à medida que o tempo passava e ela continuava sem engravidar. O questionamento sobre como ela e Abrão poderiam ter um filho em idade avançada a atormentava.

Ela propôs que sua serva, Agar, concebesse um filho em seu lugar e convenceu Abrão a deitar-se com ela. O resultado foi a gravidez de Agar, mas também o surgimento do ciúme em Sarai, que conseguiu o que desejava, mas não ficou satisfeita com o resultado.

No entanto, Ismael, o filho de Agar, não era o descendente que Deus havia prometido. Deus então reafirmou Sua promessa a Abraão sobre ter muitos descendentes e, desta vez, mudou o nome de Abrão para Abraão, que significa “pai de multidões“.

Ele também mudou o nome de Sarai para Sara, que significa “mãe das nações“, e confirmou que dela nasceria um filho. Mesmo quando Sara riu de incredulidade diante da ideia de uma mulher de sua idade conceber, Deus reafirmou que, dentro de um ano, Sara teria um filho.

3. Abraão era um homem de fé

Uma das lições mais importantes que aprendemos com Abraão é sua fé em Deus.

Pela fé, Abraão obedeceu quando Deus o chamou para deixar sua casa e ir para outra terra que Deus prometeu a ele. Ele avançou sem conhecer o destino (Hebreus 11:8). Abraão olhou com confiança além do que a visão natural lhe permitia e prosseguiu em direção às recompensas celestiais.

Da mesma forma, pela fé, Sara seguiu seu marido para lugares desconhecidos. Ela aceitou a autoridade de seu marido na terra e, ao mesmo tempo, reconheceu a autoridade suprema de seu Pai celestial. Sara acreditava que Deus cumpriria Sua promessa, mesmo que não entendesse como isso aconteceria (Hebreus 11:11).

Ambos confiavam em Deus, e muitas pessoas seguiram seu exemplo. Eram incontáveis, como estrelas no céu e grãos de areia na praia (Hebreus 11:12).

Abraão e Sara cometeram erros em suas vidas? Sim, mas aprenderam com esses erros e permaneceram firmes na mão de Deus ao longo de sua jornada. Cresceram em sabedoria enquanto peregrinavam nesta terra, sempre cientes de que ainda não estavam em seu lar permanente. Aguardavam com ansiedade o cumprimento das promessas de Deus e de seu lar celestial.

Acima de tudo, Deus busca a fé em nossos corações. Não podemos controlar os resultados, mas podemos controlar nossa crença e nossa atitude. Podemos permanecer fiéis enquanto Deus cuida dos detalhes.

Não importa o quão boa a vida pareça em um momento ou quão difícil possa ser em outro, lembre-se de que este não é o fim. Continue avançando. Continue aprendendo e confiando. Um dia, você receberá muito mais do que o mundo inteiro pode oferecer.

Se você gostou deste estudo sobre Abraão, continue lendo outros aqui:

Sobre o Autor

Indiara Lourenço
Indiara Lourenço

Indiara possui mais de 20 anos de experiência ensinando e pregando. Já atuou em vários ministérios como: infantil, feminino e jovens. Estudante de teologia, também ministra aulas na EBD.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *